Oieee, sou a Cristiane Baptista, ou simplesmente Cris. Carioca, mãe do Caio, esposa do André, revisora, contadora de histórias visuais, tagarela por natureza, apaixonada por cães (tenho 2 cathorríneos lindos, o Meli e o Du), por plantas, pela minha família e por música. Feliz com a vida, agradecida pelas oportunidades que ela me dá de me reinventar, me resignificar dia após dia. Encantada pelo poder da fotografia desde novinha. 


Preciso contar pra vocês que eu não tenho registros de minha infância, de aniversários, tão pouco de familiares maternos. Na verdade tenho apenas 3 fotos desses que eu não tive a alegria de conhecer porque se foram bem antes de eu existir. Nunca vi minha mãe grávida, acredito que ela deve ter ficado linda, imagino que minha chegada tenha causado um rebuliço numa casa que já tinham meus dois irmãos. 


Meus aniversários...será que tinham muitos amiguinhos? Será que me diverti muito? Não sei, não lembro, a memória é falha, eu era muito pequena. Infelizmente, acho que pela correria do dia a dia ou falta de costume, minha família não seguiu dando a devida importância à fotografia familiar como vinha fazendo até um certo tempo antes de eu nascer, e isso me levou a não ter essa memória fotográfica afetiva. Aos 9 anos me dei conta da falta que esses registros fazem na construção da nossa história, e a partir dali me encantei por fotografias familiares e tudo o que ela trazia junto dela, todas as referências de tempo, espaço e relações. 


Todos os meus pedidos de presente durante minha adolescência foram máquinas fotográficas. Não parei mais de fotografar. Já adulta desejei ajudar outras crianças, outras famílias a não terem o mesmo lapso fotográfico que eu tive e tanto me angustia. Saí para entregar memórias, histórias, emoções, abraços, sorrisos, gargalhadas, beijos, carinhos...uma infinidade de momentos incríveis que se eu e tantos outros fotógrafos não estivessem se dedicando a isso, teriam desaparecido no tempo. Além disso, a fotografia é a forma mais doce da gente matar a saudade daqueles que se foram e nos deixaram tantas marcas lindas. Ela ameniza a dor, eterniza a alegria, o afeto e reaviva nossa memória.


Minhas fotografias trazem muito do que eu sou, a alegria e o movimento estão sempre presentes. Sempre tentei capturar a essência das pessoas que fotografo de maneira espontânea e descontraída, acho que no futuro esses detalhes dirão muito sobre quem elas são desde muito tempo atrás.


Se você quer ter uma experiência legal dentro da fotografia, me chama no whats, vamos conversar, me conte sua história pra que juntos possamos organizar seu ensaio ou fazer aquela cobertura fotográfica maneira da sua festa. Eu sei que você vai curtir. Vamos nos divertir, seja em um ensaio externo, na sua casa, num documental, numa festa, na igreja ou no parto. Não importa, a alegria é a mesma e o motivo que me colocou ali também: você valoriza a memória afetiva da sua família e sabe da importância que isso tem pra quem vem depois.


Fique à vontade, aqui é a minha casa dentro da fotografia, portanto entre, não se acanhe, aprecie sem moderação, e permita que eu registre um grande momento da sua vida e conte a sua história do jeitinho que eu vejo.


Um beijinho,

Cris